Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]






Foram 15 os Sapadores Florestais que assinaram recentemente Contratos de Trabalho em Funções Públicas por Tempo Indeterminado, numa cerimónia em que estiveram presentes os três Presidentes de Câmara que integram a Associação de Municípios «Terras do Infante» – Aljezur, Lagos e Vila do Bispo. Os sapadores irão executar funções de gestão florestal e defesa da floresta, designadamente através de ações de silvicultura preventiva, primeira intervenção, apoio ao combate, rescaldo e pós vigilância em incêndios florestais, acompanhamento de queimadas e funções de sensibilização do público para as normas de conduta respeitantes a esta matéria.
José Manuel Amarelinho e Adelino Soares, presidentes da Câmara Municipal de Aljezur e de Vila do Bispo, respetivamente, e vogais do Conselho Diretivo da Associação de Municípios Terras do Infante, sublinharam o facto da ocasião ser de grande contentamento para ambos os municípios, referindo ainda que: “Apesar desta ação representar uma continuidade do que se tem vindo a fazer em anos anteriores, desta vez a cerimónia é diferente, uma vez que o passo que aqui está a ser dado - o de entrar na carreira da função pública - é hoje quase impossível de acontecer. Este é um sinal claro de que a missão destes homens como agentes de proteção das nossas florestas é indispensável na nossa sociedade”, reforçou José Amarelinho. Para Adelino Soares, “o facto de existirem três municípios que estão, em determinadas áreas, a funcionar em conjunto em prol das suas comunidades, deverá ser um exemplo a nível nacional”.
No final da cerimónia, foi a vez de Maria Joaquina Matos, Presidente da Câmara Municipal de Lagos (e Presidente do Conselho Diretivo da Associação de Municípios Terras do Infante) tomar a palavra. A autarca também deixou bem vincado que esta cerimónia tinha um significado bastante especial, “pelo facto de poder proporcionar alguma estabilidade na vida profissional destes 15 novos colaboradores e pela importância do papel e missão meritória que desempenham todos os dias na proteção das nossas florestas”. Recordando a propósito o ano negro de incêndios de 2003, Maria Joaquina Matos frisou ainda: “Nessa altura, foi tomado o compromisso de não voltar a deixar que essas situações voltassem a acontecer e é para isso que temos estado a trabalhar”.

publicado às 14:57



Mais sobre mim

foto do autor


Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D