Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]




O Secretário de Estado do Ensino e da Administração Escolar, João Casanova de Almeida, visitou a Escola Básica de Castro Marim, no dia 20 de janeiro, no âmbito da remoção das coberturas de fibrocimento das escolas, mas também para conhecer de perto o Agrupamento de Escolas de Castro Marim, que é um exemplo de sucesso no envolvimento com a comunidade. Atualmente com 608 alunos, o Agrupamento integra a Escola Básica de Castro Marim (Sede do Agrupamento), a Escola E.B.1 de Castro Marim, o Jardim de Infância de Castro Marim, a Escola E.B. 1/JI de Altura e a Escola E.B. 1 de Odeleite.
Com uma larga oferta de atividades extracurriculares (desporto, teatro, dança, música, património), o Agrupamento de Escolas de Castro Marim participa regularmente nos eventos culturais do território e prima ainda por participar e desenvolver diversas ações de solidariedade. “Estamos empenhados nos resultados escolares, mas também em envolver os nossos alunos com todos os aspetos culturais e sociais da comunidade”, declarou o diretor do Agrupamento, José Nunes. Nesse sentido, o Agrupamento tem participado em vários concursos nacionais, conquistando diferentes prémios e distinções, como o Selo Escola Intercultural, o Selo Europeu para as Línguas ou 1.º lugar no Concurso Nacional «Imagem Contra a Corrupção».

“As escolas e as faculdades têm que deixar de ser fábricas de desempregados. A escola deve dar um contributo importante para o desenvolvimento socioeconómico de qualquer concelho”, declarou o presidente da Câmara Municipal de Castro Marim, Francisco Amaral, apoiando o repto do contrato de autonomia deixado pelo diretor geral dos Estabelecimentos Escolares, que acompanhava o Secretário de Estado. “A dinâmica desta escola é exemplar e estou convencido que se adaptará perfeitamente a este modelo de autonomia. A liberdade para reorganizar os departamentos curriculares permite que a escola se adeque à realidade do seu território, indo de encontro à exploração das suas potencialidades naturais, ao aproveitamento dos recursos endógenos. Isto prepara os alunos para a realidade do mercado de trabalho e com certeza diminuiria o número de desempregados no nosso país”, continuou o autarca, referindo ainda que, para isso, é fundamental a articulação entre as escolas, o Instituto de Emprego, a Câmara Municipal e o mundo empresarial local.  “Este seria um projeto educativo que faria a diferença no recrutamento de mais alunos e na fixação de pessoas”, declarou o Secretário de Estado sobre a mesma matéria. 

publicado às 12:25


Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.



Mais sobre mim

foto do autor


Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D