Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]






O dia 17 de março foi particularmente feliz para a comunidade albufeirense, que viu transformadas as instalações onde antigamente funcionava um centro de pastelaria e panificação, na rua António Aleixo, no Espaço «Em Con_tato», uma iniciativa no âmbito do programa CLDS+ (Contrato Local de Desenvolvimento Social). Patrícia Seromenho, provedora da Santa Casa da Misericórdia de Albufeira, explicou que se trata de um projeto de inclusão, destinado a pessoas e famílias carenciadas do concelho de Albufeira que só foi possível concretizar graças ao empenhamento dos parceiros: Segurança Social, Câmara Municipal de Albufeira e Instituto de Emprego e Formação Profissional. Referiu, igualmente, o esforço de centenas de trabalhadores da Santa Casa que diariamente trabalharam e acompanharam a evolução da obra, da oferta do projeto, executado por uma arquiteta que se encontrava a trabalhar ao abrigo de um contrato de inserção profissional, dos fornecedores que doaram materiais e mão-de-obra e de muitos voluntários que se quiseram colaborar, desde o início. “Nada se faz sozinho, eu sou apenas a cara visível deste sonho que, graças a toda esta gente foi possível colocar de pé em seis meses” disse Patrícia Seromenho.
A provedora informou que o concelho de Albufeira é um dos cinco territórios do Algarve (Vila Real de Santo António, Lagoa, Faro e Loulé) a beneficiar do programa CLDS+, uma vez que foi identificado pelo Instituto de Segurança Social como um território com situações críticas de pobreza, particularmente a infantil. Foi graças a esta situação que o Município de Albufeira convidou a Santa Casa a desenvolver o projeto «Em Con_tato», iniciativa que desenvolve ações que contribuam para o aumento da empregabilidade e combate das situações críticas de pobreza (especialmente infantil). É apoiado por uma equipa multidisciplinar e desenvolvida em rede com as instituições do Concelho.
O presidente da Câmara Municipal de Albufeira referiu que não esteve presente na fase de assinatura do Contrato, mas que deu o seu contributo aquando da escolha dos territórios a serem intervencionados. “Albufeira tem problemas sociais graves, e, tal como disse a senhora provedora, ninguém faz nada sozinho. Temos que nos unir para prosseguir o interesse público, os órgãos locais, regionais e as IPSS”. Carlos Silva e Sousa afirmou que a proximidade dos problemas, as parcerias e o trabalho em rede fazem toda a diferença “o dinheiro que veio para o projeto foi muito bem aplicado e rentabilizado e irá, certamente, dar os seus frutos a nível do combate à pobreza e a fenómenos de exclusão social, contribuindo para baixar o desemprego e a baixa qualificação profissional dos jovens e adultos da nossa cidade”.
A diretora da Segurança Social de Faro, Ofélia Ramos, destacou que o Protocolo de Compromisso no âmbito do programa CLDS+ foi assinado em junho de 2013 e tem a duração de um ano. Implicou um investimento de 330 mil euros, financiado pelo Fundo Social Europeu e por verbas provenientes dos resultados dos jogos sociais. Em Janeiro, disse, já abrangia 242 famílias e “o que se pretende, precisamente, é capacitar as famílias mais necessitadas, com vista à sua empregabilidade, bem como a evitar riscos que levem ao desvio social dos jovens”. Ofélia Ramos referiu que a Santa Casa da Misericórdia de Albufeira é uma “instituição de referência” e acredita que este exemplo vai ser replicado na região. “As regras são: compreender, avaliar e agir e chegou o momento de agir em nome da equidade e da coesão social”.
Carlos Baía, diretor do IEFP, salientou que o Instituto não foi subscritor do Contrato, mas está sempre presente na parceria na área da empregabilidade, ao nível da formação profissional e da reabilitação – orientação e encaminhamento - de pessoas com deficiência. “Albufeira tem uma dinâmica muito própria, em função do Turismo. Neste momento, há sinais ténues de retoma económica; no entanto continuam os problemas a nível da inserção profissional dos jovens, desemprego de longa duração e abandono escolar. Por isso, este projeto é uma mais-valia, não só para a Santa Casa, como para o concelho e para os utentes que aqui irão encontrar respostas aos seus problemas”.

publicado às 18:22



Mais sobre mim

foto do autor


Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D