Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Portugal pensa na Ryder Cup de 2022

por Daniel Pina, em 09.09.14


A Ryder Cup Europe revelou que sete países expressaram o seu interesse em candidatar-se ao direito de receber a Ryder Cup de 2022 e uma dessas nações é Portugal, a par da Áustria, Alemanha, Dinamarca, Espanha, Itália e Turquia. O britânico Richard Hills, diretor da Ryder Cup Europe – a entidade responsável pelas candidaturas e organizações das edições realizadas na Europa, em cada quatro anos – mostrou-se encantado pelo nível de interesse verificado por toda a Europa.
Miguel Franco de Sousa, secretário-geral da Federação Portuguesa de Golfe (FPG), que integrou a Comissão Executiva no processo de candidatura à Ryder Cup de 2018, ganha pela França, explicou que, neste momento, trata-se efetivamente de uma mera declaração de intenções. “O European Tour convidou todos os países que tenham jogadores elegíveis para representar a equipa da Europa na Ryder Cup a apresentar uma intenção de candidatura ao evento de 2022. Esta intenção não tem qualquer vínculo, serve apenas para receber o dossier com os requisitos para apresentação oficial de candidatura, podendo a FPG retirar-se do processo em qualquer momento, se considerar que Portugal não tem condições de apresentar uma candidatura competitiva”, disse o português que, no mês passado, liderou a seleção da Europa Continental do escalão etário de sub-18.
Os sete países interessados receberão agora um dossier de candidatura, antes de serem convocados para reuniões e posteriores visitas da Ryder Cup Europe até ao final do ano. No dia 16 de fevereiro de 2015, as federações nacionais interessadas terão de entregar as suas candidaturas formais, com o anúncio da candidatura vencedora a ser feito no outono de 2015. ”Portugal candidatou-se ao evento de 2018, perdendo para a França, mas adquiriu uma enorme experiencia que será muito útil caso se avance com uma candidatura”, adiantou Miguel Franco de Sousa, falando ainda das vantagens da organização do evento que é considerado o terceiro de maior impacto mediático do desporto mundial, depois do Campeonato do Mundo de Futebol e dos Jogos Olímpicos. “O golfe é um produto estratégico do turismo nacional e é obrigatória a sua promoção, pois atrai centenas de milhares de turistas todos os anos para jogar golfe nos campos de golfe portugueses. A FPG está consciente de que o momento que o país atravessa requer cautela, mas não se pode deixar de investir em áreas estratégicas e esta é uma excelente oportunidade para que Portugal se assuma como um dos principais destinos de golfe mundiais. Temos também de ter em conta que esta candidatura é para o ano de 2022, ou seja, daqui a oito anos, e que o investimento que o Estado Português já faz em torneios como o Portugal Masters é meio caminho andado para que Portugal cumpra com parte das suas obrigações enquanto país que acolhe a Ryder Cup”. Miguel Franco de Sousa frisou igualmente que a FPG procurará entrar em diálogo com a administração pública e privados, a fim de tomar a decisão quanto à possibilidade de apresentar uma candidatura à Ryder Cup de 2022.

publicado às 17:53



Mais sobre mim

foto do autor


Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D