Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]






O Museu do Louvre, em Paris, inaugura, no dia 17 de outubro, a exposição «Le Maroc Medieval (1053-1465)», que pretende realçar as criações artísticas e cientificas de Marrocos Medieval nos seus diversos domínios, e na qual está integrada uma «pia de abluções», objeto arqueológico proveniente do Museu Municipal de Arqueologia de Silves. Trata-se de uma peça de acabamento vidrado e decoração estampilhada, com cronologia Almóada (sécs. XII-XIII), proveniente de escavações arqueológicas ocorridas no castelo de Silves sob a direção científica da Prof.ª Doutora Rosa Varela Gomes e com profundos trabalhos de restauro realizados nos serviços de Conservação e Restauro da Câmara Municipal de Silves. O objeto já foi estudado e publicado pela referida arqueóloga que, todavia, lhe atribui diferente funcionalidade e integra as reservas do Museu Municipal de Arqueologia de Silves.
Pela sua importância, este objeto integrará, assim, a exposição «Le Maroc Medieval» onde, para além de criações artísticas e cientificas de Marrocos Medieval nos seus diversos domínios, serão também realçados outros resultados de intervenções arqueológicas antigas e recentes, mostrando peças conservadas em museus internacionais, mesquitas e tesouros das igrejas. É um projeto de investigação inédito que permitirá fazer uma nova leitura desta parte do mundo islâmico, essencialmente visto a partir da Andaluzia, reconstituindo a essência da história de Marrocos enquanto criador de impérios.
A exposição segue uma linha cronológica, sendo cada um dos seus períodos históricos pontuados por conjuntos de informação sobre cidades, lugares de poder e capitais históricas. Será uma espécie de itinerário histórico desde Fez a Sevilha, que nos faz percorrer Agmat, Marraquexe, Córdova, Tinmal, Rabat, mas também a caminhar desde o Sul do deserto do Sara (franja Norte da Mauritânia atual), ao Norte da Argélia e da Tunísia atuais.
O objetivo desta temática para o Louvre é de explicar ao público a longa e rica história, chave da compreensão de Marrocos contemporâneo e fonte da sua modernidade. É ainda ocasião para prestar homenagem aos investigadores que deram início à redescoberta do seu passado e de recuperar diversas obras excecionais. Após a exposição no Museu do Louvre, que terminará em meados de janeiro de 2015, a peça proveniente do Museu Municipal de Arqueologia de Silves transitará para o Museu de Arte Contemporânea de Rabat (Marrocos), onde permanecerá em exposição de março a junho do próximo ano.

publicado às 17:11



Mais sobre mim

foto do autor


Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D