Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]






No dia 27 de outubro, ocasião em que se assinalou o feriado municipal em Lagos, foram inauguradas duas exposições no Centro Cultural de Lagos: «Gentes de Outros Tempos» (sala 1), realizada a partir do acervo da Fototeca Municipal de Lagos e, na sala 2, «Ilustrações» de Catarina Cardoso. As exposições foram apresentadas pela Vereadora da Cultura, Maria Fernanda Afonso, que relembrou a tradição de se inaugurar o último ciclo do ano de exposições no Centro Cultural no Dia do Município. “Este ano essa honra distinguiu Catarina Cardoso, que aceitou o nosso convite e veio de Cascais expor os seus trabalhos recentes na área da ilustração e a Fototeca Municipal, cujo acervo é imprescindível a quem deseja conhecer melhor a cidade e as suas gentes”.
Quanto à exposição de Catarina Cardoso, a autora mostrou-se feliz pela oportunidade de apresentar estes trabalhos recentes. “São diferentes, mas complementares nalguns pontos. São duas formas apaixonantes, uma na área da pintura e outra na área das ilustrações”, considerou. Nesta exposição são mostrados originais do livro «Portugal, lugares ilustrados», onde percorre Portugal de norte a sul através de um olhar muito pessoal, e um conjunto de outros trabalhos em aguarela, intitulado «Impermanências», uma homenagem à natureza, aos ciclos da vida, ao quotidiano e ao seu esplendor.
Na exposição «Gente de Outros Tempos» é possível lembrar ou conhecer pessoas de Lagos porque, de acordo com Francisco Castelo, coordenador da Fototeca Municipal, “aquilo que somos hoje também é resultado das ideias e da ação das gerações que nos antecederam”. “Pretendemos, com esta exposição, relembrar algumas dessas pessoas mostrando as suas feições - o rosto daqueles de quem apenas conhecemos os nomes transportados pela tradição oral ou evocados na toponímia da cidade”, explicou.
Aproveitando a ocasião para dar a conhecer um pouco melhor a Fototeca Municipal de Lagos, o dinamizador desta plataforma relembrou alguns dados referentes à mesma, designadamente sobre o arquivo físico, que é organizado por ordem cronológica, com numeração alfanumérica correspondente, incidindo sobre registos efetuados entre 1993 e 2004: cerca de 57 mil fotogramas; cerca de 26 mil fotos em papel e sobre o arquivo digital, organizado por ordem cronológica em pastas de ficheiros JPEG com numeração alfanumérica composto por data e assunto, incidindo sobre registos efetuados entre 1999 e 2014: 126.919 fotos digitais. “Acreditamos que a fotografia, como documento rico em informação e meio de reflexão, nos coloca em contacto com momentos vividos de uma personagem ou de uma época, capaz nos contar extraordinárias e reveladoras histórias”, referiu a propósito a Vereadora Maria Fernanda Afonso.
No dia 28 de outubro foi inaugurada, no Museu Municipal de Lagos, a exposição itinerante «Pioneiros do Conhecimento Científico do Algarve», organizada pela Rede de Museus do Algarve. São 11 figuras com legados relevantes para o conhecimento científico sobre a região, incidindo sobre um grupo  de intelectuais que entre o último quartel do séc. XIX e meados do século XX, procuraram esclarecer e fundamentar os contornos da identidade do país, através do estudo da cultura popular. No caso concreto de Lagos é destacada a figura de José dos Santos Pimenta Formosinho, criador do Museu Regional de Lagos. A exposição está patente ao público até ao dia 30 de novembro.

publicado às 13:34



Mais sobre mim

foto do autor


Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D