Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]






A Câmara Municipal de Vila Real de Santo António e a Associação de Mariscadores de Arrasto de Cintura da Baía de Monte Gordo vão passar a colaborar no processo de recolha de amostras de bivalves para análise, de forma a garantir a fiabilidade dos resultados que, há várias semanas, têm interditado a captura de bivalves no concelho. A decisão foi tomada na sequência da reunião de urgência solicitada pela Câmara Municipal de VRSA ao Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), tendo em consideração o facto de a autarquia considerar «estranhos» os resultados das análises efetuadas pelo laboratório daquele organismo, cujos resultados determinam, há mais de dois meses, a interdição da captura de bivalves. “Pelo que nos foi exposto em reunião, chegámos à conclusão de que as amostras referentes à zona de Monte Gordo (L9) estariam a ser recolhidas noutra zona (L8), o que compromete de forma inequívoca a validade dos resultados e coloca em causa o sustento de centenas de famílias que dependem única e exclusivamente da atividade da mariscagem”, afirma Luís Gomes, presidente da Câmara Municipal de VRSA.
Este facto pode, aliás, explicar a razão pela qual as análises do IPMA apresentam valores de toxinas positivos, enquanto as análises efetuadas pela Câmara Municipal de VRSA, em laboratório certificado, mostram resultados muito inferiores que tornariam as zonas aptas para a captura de bivalves. “Cremos que, depois desta reunião, estão garantidas as condições para repor a verdade e retomar a normal atividade dos mariscadores”, prossegue Luís Gomes.
Na reunião realizada com o IPMA, autarquia pediu igualmente explicações sobre as razões que estão a determinar a ausência de dados públicos atualizados sobre os valores das colheitas efetuadas (a última análise efetuada em Monte Gordo e publicada no site do IPMA data de 2 junho de 2014) ou sobre os valores de toxinas. Por outro lado, a autarquia comprometeu-se também a enviar periodicamente amostras e dados necessários para a realização de análises por parte do IPMA, bem como a colaborar no processo de recolha, acondicionamento e envio dos dados para atestar a qualidade das águas costeiras locais.

publicado às 18:08

40 anos da DECO assinalados em Loulé

por Daniel Pina, em 23.07.14


Já foi inaugurada, no Mercado Municipal de Loulé, a exposição alusiva aos 40 anos da DECO, que pretende retratar o papel que esta associação tem tido na sociedade portuguesa nestas quatro décadas. Na ocasião, o presidente da Câmara Municipal de Loulé, Vítor Aleixo, deixou junto dos responsáveis da DECO a necessidade da educação para o não consumo ou redução do mesmo. “Consumir bem é talvez consumir menos. O consumo, para além das necessidades humanas, traz problemas para a saúde e problemas ambientais. Como tal, esta é uma matéria que deve estar na agenda desta associação”, considerou o edil.
Neste momento inaugural, Vítor Aleixo sublinhou também o facto da existência da DECO coincidir precisamente com os anos da democracia portuguesa, durante os quais “os consumidores conseguiram organizar-se e fazer valer os seus direitos”. O autarca realçou igualmente a colaboração e parceria entre as duas entidades, que remonta a 2007, altura em que foi criado o Serviço Municipal de Defesa do Consumidor, e a grande utilidade pública desta associação perante a agressividade comercial e a necessidade dos consumidores estarem mais esclarecidas.    
Já o presidente da DECO Algarve, Fernando Messias, falou também do contributo na sociedade portuguesa por parte da DECO, adiantando que uma das próximas apostas da associação passa pela promoção nas escolas. Recorde-se que neste momento são 16 mil e 500 os associados da DECO no Algarve, num universo de 420 mil no país.

publicado às 18:03



Começaram, no dia 22 de julho, os trabalhos de limpeza nos pontos mais críticos da Ribeira de Odeleite, nomeadamente a jusante da Barragem de Odeleite, nas imediações da aldeia. Esta intervenção pretende desassorear a ribeira, cuja obstrução ao escoamento da água comprometeria a sua qualidade.
A limpeza da Ribeira de Odeleite surgiu na sequência de uma reunião entre a Câmara Municipal de Castro Marim, a Junta de Freguesia de Odeleite e a ARH Algarve (Administração da Região Hidrográfica do Algarve, IP), onde a autarquia se responsabilizou por custear os trabalhos e a ARH Algarve pelo seu acompanhamento técnico. Os trabalhos de limpeza que estão a ser executados terminam com uma descarga da Barragem de Odeleite, que vai ajudar na renovação e depuração das águas.

publicado às 15:02



O Convento de S. José, em Lagoa, esteve especialmente animado de 16 a 20 de Julho, com a 12ª Mostra do Doce Conventual a atrair pessoas de todos os pontos do país e de diversas nacionalidades. O evento tem vindo a tornar-se numa boa forma de promoção de produtos artesanais, feitos pelos próprios expositores, oriundos de regiões como o Algarve, Alentejo e Centro.
Do mel às compotas, da amargura do medronho à doçura da melosa, a mostra trouxe diversas iguarias caseiras, num espaço que remete os visitantes a outros tempos, vividos dentro e fora do Convento de S. José. A música de referência ajudou a criar um ambiente descontraído e recatado, com o palco a receber grupos como Strella do Dia, Castro&Salgueiro e Orblua, concertos que vieram diversificar o programa e dar uma animação especial aos finais de tarde destes últimos dias.
O evento contou ainda com a presença de alguns membros do Executivo da Câmara Municipal de Lagoa, bem como alguns Presidentes das Juntas de Freguesia do Concelho, que, num ambiente descontraído e de confraternização, juntaram-se aos residentes e não residentes do concelho. A 12ª Mostra do Doce Conventual foi então alvo de um público diversificado, havendo condições para que este tradicional evento tenha continuidade.
O Convento de S. José, edifício setecentista da cidade de Lagoa, tem contribuído para a difusão de cultura no município através de exposições e eventos deste género. A sua boa conservação tem permitido a Lagoa contar um pouco da sua história arquitetónica, sendo este um ponto histórico importante da cidade, que convida a contemplação de quem por lá passa.

publicado às 10:12


No âmbito do 21.º Circuito de Natação de Mar do Algarve, os Leões do Sul Futebol Clube realizam, dia 10 de agosto, na Praia da Alagoa/Altura, a 13ª Prova de Natação de Mar «Vila de Castro Marim». A prova tem início às 11h30, com partida no lado este da praia de Alagoa/Altura, é única do género realizada no Sotavento Algarvio, tendo já assegurada a participação de dezenas de atletas federados e não federados, muitos deles campeões nacionais.
A competição na Praia da Alagoa/Altura tem duas vertentes: os atletas federados no circuito de Águas Abertas (prova oficial) que percorrem uma distância de 1500 metros de mar, enquanto os atletas não federados participam na prova popular numa distância de 800 metros. A prova tem por finalidade o incremento da natação, constituindo também um excelente cartaz turístico para o concelho e para a região do Algarve.
A iniciativa dos Leões do Sul Futebol Clube conta com os apoios da Câmara Municipal de Castro Marim, da Junta de Freguesia de Altura, da Junta de Freguesia de Castro Marim, da Capitania do Porto de Vila Real de Santo António, dos Bombeiros Voluntários de VRSA, do IDP- Algarve, da Associação de Natação do Algarve e da Associação Naval do Guadiana.

publicado às 19:20



A Câmara Municipal de Lagos deliberou, na sua reunião pública do passado dia 16 de julho, aprovar a Proposta do Plano Diretor Municipal (PDM), o Relatório Ambiental e os processos relativos à Reserva Ecológica Nacional (REN) e à Reserva Agrícola Nacional (RAN). Recorde-se que o PDM de Lagos foi um dos primeiros a ser aprovado, na década de 90, encontrando-se suspenso por ordem judicial desde 2002.
Foi igualmente deliberado remeter os documentos em apreço à Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Algarve (CCDRAlgarve), para análise e convocatória das entidades que integram a Comissão de Acompanhamento, e remeter o Relatório do Aproveitamento Hidroagrícola do Alvor – Proposta de Exclusão, à Direção-Geral de Agricultura e Desenvolvimento Rural, para emissão de parecer. Os documentos agora apresentados e aprovados na Reunião de Câmara resultam de um conjunto de alterações/retificações aos elementos que integram o Plano, determinadas na 5ª reunião da Comissão de Acompanhamento do PDM, realizada em dezembro de 2012, as quais, todavia, não modificaram a sua essência, nomeadamente ao nível das estratégias preconizadas no Relatório do PDM e no Relatório Ambiental. Realça-se a oportunidade de promover a delimitação da RAN e da REN, em estreita colaboração com a Direção Regional de Agricultura e Pescas do Algarve (DRAPAlg) e a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Algarve (CCDRAlg), respetivamente, e de acordo com modelos e métodos distintos daqueles que levaram à delimitação dos regimes que atualmente vigoram, desenvolvidos no início da década de 90 do séc. XX.
Sublinhe-se que o objetivo genérico central do PDM é o de concretizar uma política de ordenamento do território segundo as orientações do Plano Regional de Ordenamento do Território do Algarve (PROTAL), bem como de outras indicações constantes nos demais planos e estudos de incidência territorial, reforçando simultaneamente a imagem do Concelho de Lagos como território inovador e competitivo, socialmente coeso e ativo cultural e cientificamente, na linha da sua tradição histórica e marítima de relação com o Mar e de sede dos Descobrimentos Portugueses.

publicado às 19:15

Cortelha apresenta sabores e tradições

por Daniel Pina, em 22.07.14


No primeiro fim-de-semana de agosto, dias 2 e 3, a aldeia da Cortelha, no interior do concelho de Loulé, recebe mais uma edição dos Manjares Serranos e o XI Festival de Folclore da Serra do Caldeirão. Esta iniciativa, que tem conquistado inúmero público ao longo dos últimos anos, alia o mais tradicional do folclore nacional, acompanhado à mesa pela típica gastronomia serrana.
O folclore, expoente máximo das tradições nacionais, terá no dia 2 de agosto um papel de destaque.
De Palmela vem o Rancho Folclórico «Os Fazendeiros» das Lagameças, representando o rico e vasto espólio etno-folclórico do concelho de Palmela. O Ribatejo marcará presença através do Rancho Folclórico da Ribeira de Santarém e presente estará também o Rancho Folclórico da Casa do Minho, fundado por um grupo de minhotos residentes em Lisboa, que tem como objetivo recolher, preservar e divulgar a cultura tradicional minhota.
Para dar um brilho diferente, o Festival de Folclore contará com a presença de dois grupos além-fronteiras. Da Gran Canária chegará o grupo designado por «Agrupacion Folklorica Abenechara», que irá demonstrar os trajes tradicionais daquela ilha, assim como as suas sonoridades. O Grupo «Folk Ensemble ERA» vem da Sérvia, com as suas melodias e danças alegres. O anfitrião é o Grupo Etnográfico da Serra do Caldeirão, onde os pares representam várias profissões que ao longo do tempo foram o suporte económico desta zona rural, onde se enquadram o tirador de cortiça, a padeira, o moleiro, o ceifeiro, entre muitos outros ofícios, sendo que todos eles trajam a rigor e fazem-se acompanhar de todos os utensílios que antigamente cada profissão utilizava. Realce ainda para os lavradores abastados, os noivos e os montanheiros. Para além do Festival de Folclore, o acordeonista Gonçalo Tardão abrilhantará a festa com o tradicional baile serrano. Domingo será dia de música tradicional com o Grupo Musical «Rastemenga» e o baile serrano com Leonel Alexandre.
Este duplo evento, que tem sido de sucesso em anos anteriores, dá a provar aos inúmeros forasteiros a tradicional orelha de porco, o chouriço e presunto caseiro, o galo guisado, borrego ou javali e as famosas papas de milho, acompanhados de vasta doçaria regional algarvia e da aguardente de medronho. Para além de se degustarem sabores por muitos já esquecidos, toda a envolvência da festa possibilita ainda reviver a vida, as tradições e os costumes das gentes originárias desta zona serrana do Algarve, bem ilustrados na acolhedora aldeia da Cortelha. Durante todo o evento estará igualmente exposto o chamado mercadinho serrano, onde os visitantes poderão apreciar algum do artesanato da Serra do Caldeirão.

publicado às 14:47

Clube Xelb sagrou-se campeão nacional em BTT

por Daniel Pina, em 22.07.14


O Clube Xelb venceu o Campeonato Nacional em BTT - Cross Country Olímpico XCO, no passado dia 3 de julho, feito que configura a maior conquista do clube da cidade de Silves, instituição que conta com o apoio do Município para a realização das suas atividades. A prova foi disputada em Póvoa do Lanhoso, tendo Ana Silvestre e Teresa Fernandes obtido os primeiros lugares nas categorias de Juniores Femininos e Veteranos Femininos, respetivamente. Em Elites Masculinos, David Belo foi 9.º, João Silva foi 22.º em Cadetes Masculinos, Inês Raimundo ficou em 2.º lugar e Rute Pinto em 5.º em Cadetes Femininos e, em Master 30, Marco Nunes obteve o 5.º lugar.
No fim de semana de 17 a 20 de julho, o clube participou na 22ª Volta a Portugal do Futuro, tendo Renato Macedo ficado em 44.º lugar na geral individual, num total de 66 ciclistas que terminaram esta exigente prova para Sub 23. Os atletas do clube marcaram ainda presença, na 4ª prova da Taça de Portugal de Ciclismo de fundo feminino, que decorreu em Gondomar, tendo Teresa Fernandes voltado a vencer a prova na categoria de Masters e Inês Raimundo, também em master, ficou em 2.º lugar. Rute Pinto, em Cadetes, ocupou a 5ª posição e Sofia Silvestre ficou em 3.º lugar nos Juniores.
A equipa Atlantic Service/Clube Xelb de Silves obteve o 2.º lugar por equipas e alcançou o pódio com o 3.º lugar na Taça de Portugal de Ciclismo de fundo Feminino. Na prova de XCO realizada em Amoreiras Gare, o Clube Xelb ficou em 3.º lugar por equipas, tendo os seus atletas obtido os seguintes resultados: David Belo, 2.º Elites; Marco Nunes, 1.º Masters A; Jorge Cabrita, 4.º Masters A; João Silva, 3.º Cadetes; Daniel Guerreiro, 6.º Cadetes; Leandro Silva, 8.º Cadetes; Clara Oliveira, 3.º Infantis; Afonso Guerreiro, 2.º Benjamim; Alexandre Lagarto, 2.º Pupilo.

publicado às 14:36

Albufeira acolheu Volta a Portugal Solidária

por Daniel Pina, em 21.07.14


O campeão nacional de orientação João Casal chegou a Albufeira, na manhã de 18 de julho, para cumprir o sonho de dar a volta a Portugal a correr, numa missão de solidariedade. A prova que teve início no dia 27 de julho, em Matosinhos, vai passar por 800 localidades (cidades, vilas e aldeias) e tem por objetivo uma causa nobre – ajudar quem mais precisa – tentando criar uma onda de solidariedade a nível nacional. Os donativos angariados revertem a favor de instituições selecionadas pelos Municípios.
Em Albufeira, o projeto contou com a colaboração do Clube Desportivo das Areias de S. João, com os atletas Felisberto Reigado, Ricardo Freitas, Daniel Martins, Helena Trindade, Joana Reigado, Beatriz Matias e Sofia Gonçalves a acompanharem João Casal nos últimos 10 Km da prova, até à chegada ao edifício da Câmara Municipal. À espera dos atletas encontravam-se o presidente do Município, Carlos Silva e Sousa, elementos da vereação e uma responsável da Santa Casa.   
Para além do Clube colaboraram igualmente a Santa Casa da Misericórdia de Albufeira, que ofereceu o almoço ao atleta e seus acompanhantes, e a Fundação António Silva Leal, onde João Casal ficou a descansar antes de dar início à etapa seguinte, rumo a Quarteira. Ao todo, a prova que termina a 21 de agosto no local de partida, em Matosinhos, é composta por 105 etapas que vão ser percorridas em 53 dias (duas por dia), 2600 quilómetros, à média de 50 quilómetros por dia.

publicado às 17:26

Fernando Mendes passa Agosto em Portimão

por Daniel Pina, em 21.07.14


A peça «Caixa Forte», com Fernando Mendes, Carla Andrino, Cristina Areia e Frederico Amaral, estará em cena no TEMPO - Teatro Municipal de Portimão de 31 de julho a 30 de agosto, onde poderá ser vista às quintas, sextas e sábados, a partir das 22h.
Nesta comédia, Fernando Mendes é Rogério, um segurança de um banco que numa sexta-feira se prepara para um dia normal de trabalho, ao acompanhar um casal de clientes ao interior da caixa forte: minutos depois de entrarem, a porta da caixa forte fecha-se automaticamente, deixando o segurança e o casal de clientes encurralados no seu interior. Assim, um segurança bonacheirão, uma rica arrogante e o seu jovem e maltratado marido vão ter de aprender a conviver juntos e arranjar um plano que lhes permita sobreviver até segunda-feira, altura em que a porta se voltará a abrir.
Escrita por Frederico Pombares, Henrique Dias e Roberto Pereira e encenada também por Henrique Dias, a divertida peça estreou a 29 de novembro passado e esteve em cartaz até 1 de junho no Teatro Villaret, em Lisboa, período durante o qual foi vista por mais de 30 mil espetadores. De referir que a receita líquida apurada na bilheteira da estreia, marcada para a noite de 31 de julho, reverterá na totalidade para os Bombeiros Voluntários de Portimão, por iniciativa conjunta do ator Fernando Mendes e da produção do espetáculo, a cargo da empresa Segredo Público.

publicado às 17:17



O presidente da Câmara de Olhão e vereadores assistiram, no dia 18 de julho, à apresentação, pelo arquiteto Pedro Ravara, do trabalho desenvolvido até agora pela Baixa, Atelier de Arquitectura Lda., relativamente ao Plano de Pormenor da Zona Histórica de Olhão. Este plano, que se insere no programa de ação integrado do Centro Histórico e da Frente Ribeirinha de Olhão, objeto de candidatura ao PO Algarve 21 com o objetivo de regenerar a malha urbana desta zona da cidade, aguarda a 3ª Fase – Proposta do Plano, aprovação da Câmara.
Com o Plano de Pormenor da Zona Histórica de Olhão pretende-se potenciar a malha urbana existente e os seus espaços públicos. O modelo de intervenção proposto sugere a continuidade do processo histórico que definiu esta zona histórica, dando-lhe maior vivacidade. Os bairros da Barreta e do Levante são indissociáveis deste plano, com ruas de becos de circulação de viaturas, uma estrutura urbana própria que no plano se traduz em três níveis da malha urbana, correspondentes a diferentes possibilidades de acesso automóvel e de integração de infraestruturas urbanas.
As propostas feitas pelo arquiteto da Baixa Atelier implicam algumas transformações urbanas, nomeadamente em relação ao exterior de alguns dos edifícios implantados nesta zona. Prevê-se um modelo de gestão intra-zonal, que privilegia o recurso a instrumentos contratuais, que poderão ter de ser mediados pela Câmara Municipal de Olhão. Prevê-se uma intervenção integrada em edifícios, espaços públicos e equipamentos de utilização coletiva.
A fase seguinte poderá vir a ser a constituição de uma Área de Reabilitação Urbana, que permitirá aos privados ter acesso a financiamentos específicos para equipamentos coletivos. O investimento nesta reabilitação terá depois impacto na criação de emprego, nas vendas do comércio e na restauração. O programa de desenvolvimento deste Plano de Pormenor terá um custo estimado de cerca de 12 milhões de euros, compreendendo demolições, indemnizações, pavimentações, vegetação e infraestruturas, entre outros.
Com este plano, cuja 3ª fase está à espera de aprovação do executivo camarário, pretende-se valorizar a especificidade única de Olhão e o seu núcleo antigo como um dos motores de desenvolvimento, projetando a imagem da cidade. Para isso, é preciso definir regras e orientações para uma correta reabilitação. Depois de aprovada a proposta pela Câmara, inicia-se um período de discussão pública aberto a reclamações e observações de particulares.

publicado às 17:09



O prazo para conclusão das obras de pavimentação que estão a decorrer no Centro Histórico de Lagos, e que deveriam ter terminado em junho, foi prorrogado até ao dia 5 de setembro. A intervenção visa a correção do pavimento de algumas artérias que se encontram em piores condições, tendo em vista a melhoria da sua acessibilidade viária e pedonal.
De acordo com o planeamento da empreitada, as ruas abrangidas são as seguintes: Rua Conselheiro Joaquim Machado; Rua da Torrinha; Rua Dr. Faria e Silva; Rua Dr. António José de Almeida; Rua dos Ferreiros; Rua dos Peixeiros; Rua 1.º de Maio; Rua da Oliveira; Rua da Laranjeira; Rua da Amendoeira, Rua do Paiol; Rua do Jogo da Bola e Largo da Porta do Postigo.
Ainda que em algumas artérias as obras de pavimentação já estejam concluídas, foi necessário prorrogar o prazo de conclusão dos trabalhos até início de setembro, uma vez que foram detetados alguns constrangimentos no decurso da obra em referência, só agora possíveis de avaliar na sua total abrangência, nomeadamente as dificuldades de acesso das máquinas e equipamentos a algumas ruas alvo de intervenção, bem como ao facto do empreiteiro não poder intervir, em simultâneo, em mais do que uma rua, de forma a não condicionar o tráfego automóvel e pedonal na zona.

publicado às 17:02

Azinhal é palco de Folclore há 20 anos

por Daniel Pina, em 21.07.14


Teve lugar, no dia 19 de julho, no Centro Multiusos do Azinhal, o XX Festival de Folclore do Azinhal, organizado pela Casa do Povo do Azinhal, em parceria com o Rancho Folclórico do Azinhal. Para além do anfitrião, participaram o Rancho Folclórico Ceifeiras e Campinos da Azambuja, o Rancho Folclórico Flor do Alto Alentejo de Évora, o Rancho Folclórico de Penha Garcia de Idanha-a-Nova e o Grupo Etnográfico de Quelfes «Dança dos Velhos» de Olhão. Diferentes danças, cantares e instrumentos, bem como a diversidade de trajes e adereços, estiveram em palco no Azinhal numa franca manifestação de usos, costumes e tradições que caracterizam as regiões de proveniência dos grupos.
No dia seguinte, 20 de julho, foi a vez da 2ª Gala de Dança encher o Revelim de Santo António. Promovida pela Câmara Municipal de Castro Marim, esta iniciativa reuniu quatro escolas de dança - Arutla, A Idade de Ouro, Academia Gracia Diaz e Splash – num admirável espetáculo de música, luz e movimento. Em palco estiveram cerca de 150 crianças e jovens, com idades compreendidas entre os cinco e os 30 anos, e vários estilos de dança - sevilhanas, flamenco, hip hop, dança clássica e dança contemporânea.

publicado às 16:56

Visitas guiadas à chaimite de Salgueiro Maia

por Daniel Pina, em 21.07.14


Prosseguem as visitas guiadas ao interior da Chaimite «Bula», que foi conduzida por Salgueiro Maia durante as operações militares do 25 de Abril, patente ao público no Convento de Santo António, em Loulé, no âmbito da Exposição «Símbolos e Documentos de Abril». As visitas, orientadas pela Associação 25 de Abril, decorrem nos dias 5 de agosto, 26 de agosto e 23 de setembro, das 10h30 às 12h30 e das 14h às 16h30.
A Exposição «Símbolos e Documentos de Abril» é uma iniciativa da Câmara Municipal de Loulé e da Comissão Concelhia das comemorações dos 40 anos do 25 de Abril, com o apoio do Centro de Documentação 25 de Abril da Universidade de Coimbra, Fundação Mário Soares, Associação 25 de Abril, Museu Militar de Elvas e Rádio Total FM. «Símbolos e Documentos de Abril» pretende avivar a memória de todos, tornando determinantes aqueles que ficaram fora dos textos oficiais, e revela humanos, aqueles que foram colocados no painel deificado da história. Ao mesmo tempo, procura homenagear os cinco mil soldados que estiveram no movimento, os líderes e o Povo, recorrendo a documentos originais, objetos, filmes, fotografias; e com a reconstituição figurativa de alguns espaços determinantes na história do Movimento das Forças Armadas.

publicado às 11:44



Foi num cenário tipicamente serrano, junto ao Moinho do Bengado, ao sabor de pão e tibornas, que decorreu a apresentação pública da 23ª edição da Feira da Serra de São Brás de Alportel. Alimento indispensável na cozinha mediterrânica, o Pão é o convidado especial numa edição que se apresenta recheada de surpresas.
Em pleno coração do Algarve, inspirada nas tradições locais e na identidade cultural do concelho, a Feira da Serra regressa a São Brás de Alportel nos dias 25, 26 e 27 de julho para três dias repletos de artesanato, gastronomia, animação e deliciosas novidades. O Sítio do Pão será um dos novos espaços que irá surpreender o público com uma mostra histórica deste alimento que nos foi trazido pelo povo romano, há centenas de anos.
Durante a apresentação, a professora e investigadora Maria Manuel Valagão revelou alguns segredos do sentir sagrado que é atribuído ao pão e da sua importância na história da humanidade. A sua riqueza está na simplicidade da sua composição, na diversidade de tipos de pão que existe e na garantia de qualidade. No Sítio do Pão os visitantes poderão conhecer o ciclo do pão, participar em workshops de sementes e provar as iguarias das sessões de Show Cooking, elaboradas a partir do pão.   
De portas abertas à inovação, a Feira da Serra será a rampa de lançamento e divulgação para algumas empresas e agentes turísticos locais que escolheram o certame para se dar a conhecer, como explicou a vice-presidente da Câmara Municipal, Marlene Guerreiro. Dias de Aromas, um projeto de um jovem casal são-brasense que promete transportar os cheiros e sabores 100 por cento biológicos da nossa serra além fronteiras, a nova operadora «Avalanche – Rent a Bike», as propostas em torno da cortiça e o projeto Made IN Loco, a nova aposta da Associação In Loco que vai ter uma casa própria para apresentar os produtos e os produtores locais, estão entre as novas apostas do setor empreendedor que vão passar pela Feira da Serra, bem como a recente criação do são-brasense Octávio Lourenço. O produtor de pranchas de surf desenvolveu, com a colaboração de alguns alunos de um curso profissional da Escola Secundária José Belchior Viegas, uma original prancha de surf substituindo o material habitualmente utilizado como matéria-prima, poliuretano, por cortiça e agave (ou pau de pita), dois materiais típicos do nosso concelho e mais amigos do ambiente.
O coração da Feira da Serra continua a bater na Aldeia Serrana e no Encontro de Ofícios, onde os visitantes podem encontrar o mais genuíno artesanato e os produtos locais, sendo surpreendidos por mestres e artesãos a produzir a sua arte ao vivo, aplicando os conhecimentos e saberes tradicionais. Em ano de celebração do Centenário do Concelho, a Feira da Serra vai acolher um espaço dedicado a esta efeméride, «São Brás de Alportel 1914-2014», com o intuito de proporcionar uma viagem documental pela história do município e recordar a época em que se desencadearem os acontecimentos que motivam estas celebrações, cem anos depois.
Seguem-se as sugestões gastronómicas no Encontro de Sabores onde será difícil escolher entre o Ensopado de borrego com hortelã, a Açorda de galinha, o Pão recheado ou a Carne no Alguidar, e poderá adoçar o paladar com o Bolo da massa do pão ou o Pudim de pão, propostas inspiradas no convidado especial desta edição, sem esquecer as diárias demonstrações gastronómicas que terão lugar no Sítio do Pão. A animação será garantida e constante ao longo dos três dias do evento e em diferentes pontos do recinto. O Grupo de Acordeonistas de São Brás e a banda algarvia Iris sobem ao palco principal no primeiro dia, sexta-feira, e no sábado terá lugar o desfile São Brás Fashion, numa noite dedicada ao glamour e à beleza são-brasense. Da televisão para o palco da Feira da Serra, José Freitas traz um talento ainda em bruto e a sua surpreendente voz depois da revelação no programa Fator X. No domingo, último dia do certame, as canções e os cantares típicos da região serão representados na atuação do grupo Cante Andarilho, ao qual se segue a inconfundível presença de José Cid, a fechar o palco principal da 23ª edição da Feira da Serra. 
Enquanto prova viva das tradições são-brasenses, a Feira da Serra “procura dar a conhecer ao mundo São Brás de Alportel, o concelho e a sua história, e promover o desenvolvimento da economia local”, afirmou Vítor Guerreiro, presidente da Câmara Municipal de São Brás de Alportel. “Enquanto local de experiências que ficam na memória de quem a visita, a Feira da Serra é o maior evento do concelho e pretende reavivar o orgulho são-brasense”, continuou.

publicado às 18:47

Portimão Urbis vai ser extinta

por Daniel Pina, em 18.07.14


A presidente da Câmara Municipal de Portimão, Isilda Gomes, informou os trabalhadores da empresa municipal Portimão Urbis EM SA, a intenção do executivo municipal de proceder à extinção daquela sociedade de capital exclusivamente municipal. Esta decisão resulta da análise que ao longo dos últimos meses foi efetuada, identificando e valorando os vários fatores que relevam para justificar a existência da empresa como entidade autónoma do Município.
Da análise resultou evidente que os riscos para o Município de manter a empresa em funcionamento não compensavam de forma satisfatória os custos associados à operação da Portimão Urbis. Foi também transmitido que, quer as competências, quer os equipamentos sob gestão desta empresa municipal, serão transferidos para o restante universo municipal, esperando-se que do ponto de vista do munícipe não existam perturbações nos serviços.
No âmbito da dissolução, o passivo remanescente será transferido para o Município enquanto acionista único. O Município de Portimão, através da sua representante na Assembleia Geral da empresa, irá proceder no muito curto espaço de tempo à nomeação de um novo Conselho de Administração, que terá como principal incumbência tomar as medidas necessárias à concretização desta decisão até ao final do presente ano. Aproveitou a presidente da Câmara para agradecer o esforço e dedicação de todos os funcionários da Portimão Urbis, que ao longo destes últimos meses colaboraram de forma ativa no encontrar de soluções que permitissem a viabilização da empresa.
De referir que durante o mandato do atual Conselho de Administração, a massa salarial da Portimão Urbis passou de cerca de 3,7 milhões de euros/ano para 2,1 milhões, tendo o número de trabalhadores passado de 156 para os atuais 107. Esta reestruturação só foi possível com o empenho dedicado de todos os trabalhadores e em particular do Conselho de Administração agora cessante.
Foi reafirmada a necessidade de ouvir os órgãos próprios da autarquia, procurando um consenso o mais alargado possível sobre a forma de integração das atividades da empresa no Município, assim como o respetivo plano social, o que será feito atempadamente. Esta decisão foi tomada de forma ponderada e com a consciência de que irão ser afetadas as vidas dos colaboradores da empresa, não podendo por isso ser motivo de manifestações ridículas de regozijo como as que foram já observadas nas redes sociais, por parte de alguns autarcas com responsabilidades políticas no Município.

publicado às 18:42



O presidente da Câmara Municipal de Albufeira deslocou-se, na manhã do dia 18 de julho, ao quartel dos Bombeiros Voluntários de Albufeira para proceder à entrega simbólica do Equipamento de Proteção Individual (EPI) para Combate a Incêndios, que ascende a 24 mil euros. O ato resulta de um protocolo de cooperação celebrado entre a AMAL e os municípios algarvios e as Associações Humanitárias de Bombeiros. “Este equipamento vem melhorar em muito as condições de segurança dos operacionais que acorrem no combate aos incêndios. O número de ocorrências dispara durante o verão e torna-se necessário que os bombeiros estejam equipados adequadamente para poderem executar o seu trabalho da melhor forma possível”, explicou o comandante Luís Zeferino, da corporação de Bombeiros Voluntários de Albufeira (BVA), durante a cerimónia simbólica de entrega do Equipamento de Proteção Individual para Combate a Incêndios (EPI) florestais, urbanos e industriais, que teve lugar esta manhã, no quartel daquela Associação Humanitária.
O equipamento, cujo valor total é de 24.273,21 euros, foi adquirido pela autarquia de Albufeira no âmbito do protocolo de cooperação na área da proteção civil e corpos de bombeiros, celebrado entre a AMAL – Comunidade Intermunicipal do Algarve, os municípios da região e as associações humanitárias de bombeiros. A Câmara de Albufeira decidiu doar esse equipamento à Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Albufeira (AHBVA), em conformidade com o protocolo. “Os Bombeiros desempenham um importantíssimo papel na nossa comunidade quer a nível local, quer regional, tornando-se essencial que cada operacional esteja bem equipado e protegido para que possa desempenhar um bom papel e fazer face aos perigos diários a que esta profissão obriga”, salienta Carlos Silva e Sousa. O autarca de Albufeira garantiu ainda que “o Município está atento às necessidades dos BVA e reconhece publicamente o seu inestimável valor”.
Durante a cerimónia, o presidente da Câmara e a vereadora da Proteção Civil, Ana Vidigal, entregaram simbolicamente um capacete, um par de luvas e outro de botas aos «soldados da paz» como forma de assinalar a parceria. “É de todo o interesse termos este material à disposição da nossa corporação para que haja segurança e bem-estar no seio dos BVA”, concluiu José Carlos Rolo, presidente da direção da AHBVA. Refira-se que só no passado mês de junho, os Bombeiros de Albufeira registaram um total de 96 ocorrências relacionadas com incêndios (urbanos, florestais e industriais) deflagrados no concelho.

publicado às 18:34


A Sociedade Polis Litoral Ria Formosa – Sociedade para a Requalificação e Valorização da Ria Formosa (POLIS), promoveu, em articulação com o Grupo de Ação Costeira e a Câmara Municipal de Olhão, no passado dia 16 de julho, uma sessão conjunta de trabalho entre entidades, subordinada ao Plano de Mobilidade e Ordenamento da Circulação na Ria Formosa. Foram apresentadas as principais conclusões e propostas preliminares do plano, com particular destaque para o modelo de ordenamento e de intervenção para a mobilidade flúvio-marítima.
Estas propostas resultam de uma primeira fase de caracterização e diagnóstico, e de um período de auscultação de entidades públicas e privadas, destacando-se entre estas últimas os agentes económicos ligados às actividades de produção relacionadas com a Ria Formosa (pesca, viveirismo, aquacultura), tendo sido recolhidos e incorporados os seus contributos. Das entidades envolvidas, marcaram presença no Salão Nobre do Município de Olhão a Câmara Municipal de Olhão, Docapesca, Parque Natural da Ria Formosa (PNRF), Câmara Municipal de Faro, Direção Geral de Recursos Naturais Segurança e Serviços Marítimos (DGMR), Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional (CCDR) e Autoridade Marítima.
Esta sessão destinou-se a promover o diálogo entre as diferentes entidades, para discussão e concertação de perspetivas sobre as propostas apresentadas, no sentido de melhorar e otimizar as mesmas. As conclusões desta sessão serão agora incorporadas no desenvolvimento e aprofundamento das propostas, após o que será promovida a apresentação e divulgação do Plano.

publicado às 18:28



Propostas literárias para todos os gostos e preços tentadores são os principais atrativos de mais uma edição da feira do livro de Portimão, que começa no dia 25 de julho na antiga Lota, situada na zona ribeirinha. O evento, organizado pela Câmara de Portimão em conjunto com as livrarias Algarve e Elifalma, ficará patente até 24 de agosto e abre portas entre as 19h e as 24h, propondo as últimas novidades em conjunto com edições mais antigas.
Também será possível encontrar um vasto lote de obras de ficção científica, policiais, romances históricos, literatura infanto-juvenil e livros técnicos das mais diversas áreas do saber. O programa do certame contará com a presença de vários escritores algarvios convidados, que participarão em sessões de autógrafos e conversas informais.
A Feira do Livro é uma oportunidade privilegiada de contacto com a leitura e de compra de livros, oferecendo descontos médios de 20 por cento, o que atrai todos os anos milhares de visitantes, tendo recebido em 2013 perto de cem mil visitantes, os quais adquiriam cerca de 50 mil exemplares, números que reforçam a posição deste evento como o terceiro maior do país no seu género, logo a seguir a Lisboa e ao Porto.

publicado às 18:23



A Câmara Municipal de Vila Real de Santo António considera «estranhos» os resultados das análises que, há mais de dois meses, interditam a captura de bivalves (nomeadamente conquilha) no concelho de Vila Real de Santo António e questiona a validade das amostras que estão a ser efetuadas pelos laboratórios do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA). A situação de interdição, que impede os mariscadores das zonas de Vila Real de Santo António e Monte Gordo de exercerem atividade, está já a provocar sérias dificuldades económicas às centenas de famílias do concelho que dependem única e exclusivamente da atividade da mariscagem.
Para clarificar as razões que impedem o trabalho dos mariscadores, a autarquia já solicitou uma reunião de emergência ao IPMA e apresentou vários pedidos de esclarecimento – até agora inconclusivos – sobre a forma como estão a ser efetuadas as análises que têm determinado sucessivas interdições nas capturas. “Não conseguimos compreender como as análises do IPMA apresentam valores de toxinas positivos enquanto as análises efetuadas pela Câmara Municipal de VRSA, em laboratório devidamente certificado, com colheitas efetuadas nos mesmos locais, apresentam resultados muito inferiores que tornariam as zonas aptas para a captura de bivalves”, afirma Luís Gomes, presidente da Câmara Municipal de Vila Real de Santo António.
Por esta razão, a Câmara Municipal vai exigir ao IPMA respostas claras e transparentes sobre o rigor do local das colheitas (incluindo coordenadas e métodos de análise associados) e continuará a questionar os organismos públicos sobre as discrepâncias verificadas entre laboratórios. Por outro lado, quer saber por que razão se verifica a ausência de dados públicos atualizados sobre os valores das colheitas efetuadas (a última análise efetuada em Monte Gordo e publicada no site do IPMA data de 2 junho de 2014) ou sobre os valores de toxinas.
Tendo em consideração a subsistência dos mariscadores, a autarquia vila-realense irá também continuar a reunir-se periodicamente com os profissionais e associações representativas do setor e já se comprometeu a efetuar contra-análises e a colaborar nos processos de colheita, sempre que necessário, para atestar a qualidade das águas costeiras locais.

publicado às 18:20




Os campos de férias de verão em Olhão, que se iniciaram a 23 de junho e se prolongam até 25 de julho, têm sido um sucesso e asseguram dias bem passados para as crianças e jovens olhanenses. Este ano com muitas novidades, os participantes puderam visitar a Associação Arte Equestre, o Parque Temático Krazy World e outros locais já habituais, como a Ilha da Culatra, com um passeio no Caíque, as Piscinas de São Brás de Alportel, ou o Centro de Ciência Viva de Tavira, entre muitos jogos e brincadeiras.
Os meninos que participaram nas primeiras semanas não puderam desfrutar de todas as atividades e alguns dos passeios foram interrompidos devido à chuva. Mas a animação e a boa disposição são sempre motivos de satisfação para os meninos, técnicos e encarregados de educação, que mais não querem do que ver os seus filhos crescerem em segurança, felizes e com muita diversão pelo meio.
Ciente das necessidades dos pais e educadores, a Divisão de Desporto da Câmara Municipal de Olhão elaborou, para estas semanas, um plano de atividades divertido, saudável e muito diversificado. Os técnicos que monitorizam todas as atividades nos campos são credenciados para o efeito. A Câmara Municipal de Olhão prevê entretanto um alargamento dos campos a mais jovens, mas de momento os recursos não permitem chegar a mais crianças, como referiu o autarca António Miguel Pina.

publicado às 18:13

Silves prepara-se para a XI Feira Medieval

por Daniel Pina, em 17.07.14


A décima primeira edição da Feira Medieval de Silves realiza-se entre os dias 8 e 17 de agosto, no centro histórico desta cidade algarvia, para 10 dias de recriação histórica do período medieval da antiga capital do Reino do Algarve. Será uma viagem pela história dos episódios mais marcantes que levaram à conquista definitiva da cidade pelos cristãos, escrita com cercos, batalhas, saques, derrotas e glórias.
Entre as 18h e a 1h, os visitantes terão oportunidade de viver aventuras únicas, experiências memoráveis que os farão regressar a outras épocas, aos tempos áureos em que Silves era a capital do Al-Gharb. Dois torneios a cavalo por dia, animação exclusiva no Castelo de Silves, manjares medievais, dança e animação, levarão os visitantes numa verdadeira viagem no tempo, onde será possível ter uma visão do que a cidade terá sido outrora e da sua importância incontornável na história da região. A azáfama nas ruas do centro histórico será constante, respirando-se uma atmosfera com características particulares, num ambiente e cenário únicos, constituídos pelo traçado peculiar do tecido urbano e pela imponência dos seus monumentos.
Recorde-se que a primeira Feira Medieval realizada na cidade de Silves foi organizada pela Escola Secundária de Silves, em 1996. Nos dias 14 e 15 de agosto de 2004, a Câmara Municipal de Silves organizou uma «Feira Quinhentista», como forma de comemorar os 500 anos do Foral Manuelino de Silves, durante a qual foram recriados alguns momentos característicos da vida quotidiana da época e a leitura do Foral.
Em 2005 fez-se a primeira Feira Medieval, já com organização da autarquia, com um número ainda relativamente pequeno de figurantes e de grupos envolvidos, mas com grande empenho de todos. De então para cá, todos os anos, no mês de agosto, Silves enche-se dos sons, dos falares, das cores e dos aromas próprios do tempo em que a cidade era capital do Sul do país, sendo a Feira Medieval de Silves uma referência a nível nacional.

publicado às 21:35

Saúde não pode falhar no Algarve

por Daniel Pina, em 17.07.14


O presidente da Região de Turismo do Algarve, Desidério Silva, reuniu com o ministro da Saúde com o objetivo de o sensibilizar para as preocupações inerentes às questões da saúde no Algarve, bem como para os desenvolvimentos recentes e objeto de divulgação na comunicação social. No seguimento das reuniões havidas entre a RTA e o presidente da ARS Algarve, o  presidente do Centro Hospitalar do Algarve e o Sindicato dos Enfermeiros, e após terem sido constatadas algumas deficiências em alguns serviços de algumas unidades de saúde, nomeadamente nos serviços de urgência na região, foi entendido o quanto era importante dar conta dessas realidades ao ministro da Saúde no sentido de serem encontradas não apenas as soluções imediatas mas, essencialmente, de serem encontradas as soluções estruturais para a região.
Nesse sentido, salienta-se com agrado o reforço de verbas da ARS Algarve para o Centro Hospitalar do Algarve, com o objetivo de melhorar os serviços em causa, essenciais para os residentes e para quem visita o destino turístico. Saliente-se que a região evidencia-se cada vez mais como um local onde o turismo de saúde e bem-estar se tem afirmado como um produto estratégico e muito procurado por todos os mercados emissores de turistas. Além disso, importa garantir cada vez mais um serviço de saúde não só para quem visita o Algarve, mas também para os residentes, e onde o bem-estar e a saúde são fundamentais para receber milhões de turistas todo o ano.
Assim, foi garantido pelo Ministro da Saúde haver um conjunto de mediadas e procedimentos em curso e outros previstos no sentido da contratação imediata de médicos, enfermeiros e assistentes operacionais, além dos serviços básicos como os da limpeza e higiene, de modo a melhorar significativamente as condições de trabalho dos profissionais de saúde em toda a região. E isto porque, como principal região turística do país, o Algarve não pode estar sujeito a medidas conjunturais, mas sim estruturais.

publicado às 21:34



As Câmaras Municipais de Vila Real de Santo António e de Olhão criaram o programa «Cuidar», uma forma inovadora de partilha e otimização de recursos que dará uma resposta mais rápida e próxima aos problemas de saúde dos munícipes de ambos os concelhos algarvios. A medida permite dar um passo em frente na implementação de redes intermunicipais de cuidados de saúde, desenvolvendo um novo modelo assente em políticas de proximidade que otimizará recursos e responderá aos problemas reais das populações.
Nesta primeira fase, o programa está centrado nas patologias ligadas à área da oftalmologia, tendo em consideração o novo aumento das listas de espera nesta especialidade, que ultrapassa atualmente os dois anos no sul do país. Para beneficiar do «Cuidar», os munícipes deverão inscrever-se na Divisão de Ação Social da autarquia de VRSA e na autarquia de Olhão, esperando-se que o programa venha a atender cerca de 100 pessoas/mês.
Para Luís Gomes, presidente da Câmara Municipal de VRSA, o programa «Cuidar» é um alerta para as deficiências do Serviço Nacional de Saúde e representa uma iniciativa histórica e um virar de página na gestão autárquica. “Fechar os olhos ao que se passa com as listas de espera é fechar os olhos aos problemas das pessoas. Não podemos ficar de braços cruzados quando a situação dos serviços de saúde públicos no Algarve é preocupante”, nota Luís Gomes.
Para António Pina, presidente da Câmara Municipal de Olhão, o «Cuidar» é a prova de que tratar das pessoas não tem partidos nem cores políticas, referindo-se ao facto de o programa estar a ser implementado por autarcas eleitos por forças partidárias opostas. “O que nos preocupa é cuidar das pessoas. Não podemos dormir descansados quando há munícipes que precisam de tratamentos médicos a que o Serviço Nacional de Saúde não dá resposta”, continua o autarca Olhanense.
No futuro, o «Cuidar» irá estender-se a outras especialidades, podendo vir a agregar mais concelhos a esta rede de cuidados de saúde que se quer próxima das pessoas e das famílias. Os custos da rede serão divididos pelos dois municípios, que terão ao seu serviço um médico que fará a triagem dos casos mais urgentes. Pretende-se que o programa se dirija preferencialmente a pessoas com rendimentos inferiores ao salário mínimo nacional ou que não dispõem de capacidade para suportar os custos dos tratamentos numa unidade privada.

publicado às 21:27

Armazém do Espingardeiro reabre ao público

por Daniel Pina, em 17.07.14


Depois de algum tempo encerrado, o Armazém do Espingardeiro volta a reabrir as suas portas para dar a conhecer a Evolução Urbana da Cidade de Lagos. Nesta edificação militar, que integrou o complexo de estruturas militares de Lagos de meados do séc. XVII, foi recuperada, pela Câmara Municipal, a sua traça original, tendo-se tornado, a partir de outubro de 2008, no Centro de Interpretação da Evolução Urbana da Cidade de Lagos, com o propósito de servir a comunidade e dar a conhecer também aos visitantes a sua evolução e desenvolvimento temporal.
Para complementar o discurso expositivo já existente serão colocadas algumas peças provenientes do Museu Municipal retratando fases como o período romano, árabe, medieval, moderno e contemporâneo. Recorde-se que a construção deste edifício, que remonta a 1665, deve-se a D. António de Almeida, governador do Reino do Algarve até 1667. Estabeleceu-se aqui a Selaria e mais tarde a Oficina e Armazém do Espingardeiro. É um edifício de gaveto, de alvenaria de pedra, que integrou o complexo de estruturas militares de apoio à guarnição da cidade, conhecidas por Quartel da Coroa. A sua planta quadrangular, de um só piso e telhado de tesouro, mostra-o muito amplo. Na posse do Exército até 1980, foi destinado nas últimas três décadas a vários projetos de recuperação e funcionalidade.
Atualmente, conta-nos a história da evolução de Lagos, através de um conjunto de salas, cada uma subordinada a um tempo desta evolução, nomeadamente a «Evolução Urbana - Dos tempos de Roma aos Medievais e Descobrimentos», a «Evolução Urbana – Dos Tempos Modernos» e, por fim, a «Evolução Urbana – Do nosso tempo», que é dedicada ao século XVIII até aos nossos dias. O conteúdo deste importante núcleo museológico é dedicado à vida e extensa obra do Arquiteto Rui Mendes Paula.

publicado às 21:25




No passado dia 9 de julho, a Câmara Municipal de Albufeira cedeu uma cadeira anfíbia (tiralô) ao concessionário da praia de Santa Eulália, concebida para que pessoas com deficiência motora ou mobilidade reduzida possam tomar banho de mar em condições de segurança. O equipamento foi entregue ao Município no âmbito do projeto «Praia Saudável», dinamizado pela Vodafone em parceria com a Autoridade Marítima/Instituto de Socorros a Náufragos, o Instituto da Água, o Instituto de Conservação da Natureza e da Biodiversidade, a Associação Bandeira Azul da Europa e o Instituto Nacional de Reabilitação.
A insígnia «Praia Saudável» tem em consideração aspetos como a segurança, acessibilidade, ambiente e sensibilização. No que respeita à acessibilidade, o programa visa dotar as zonas balneares de equipamentos que permitam o acesso às praias por cidadãos com necessidades especiais, através da disponibilização de passadeiras especiais e de cadeiras de rodas anfíbias nas praias. “Esta é a terceira cadeira anfíbia que a Autarquia ganha no âmbito da candidatura ao projeto «Praia Saudável», que já nos permitiu equipar as praias de Rocha Baixinha Poente e Barranco das Belharucas. Este ano, escolhemos oferecer o equipamento à praia de Santa Eulália, que ostenta o galardão de «Praia Acessível – Praia para Todos», a par com a Bandeira Azul e a distinção de Ouro para as suas águas”, explica Ana Vidigal, vereadora do Ambiente da Câmara Municipal.
Para além das cadeiras de mar cedidas pela Autarquia, muitos dos concessionários optam por adquirir o equipamento, beneficiando os utentes das potencialidades lúdicas e terapêuticas que a praia pode proporcionar. Em Albufeira, o tiralô está disponível diariamente e de forma gratuita nas praias de Salgados, Galé Oeste, Galé Leste, Evaristo, Peneco, Pescadores, Santa Eulália, Maria Luísa, Barranco das Belharucas e Rocha Baixinha Poente e Rocha Baixinha Nascente.
Ana Vidigal relembra que este serviço permite a todos os visitantes circularem no areal junto à água e entrar no mar com a ajuda dos nadadores salvadores, cujo “esforço e empenho são de louvar já que exercem um importante papel de auxílio às famílias no acompanhamento da utilização do equipamento”. “Esta praia é frequentada por pessoas portadoras de deficiência, o que torna a cadeira uma mais-valia”, frisa José Joaquim, proprietário do concessionário «O Pescador», localizado em Santa Eulália. “As pessoas com deficiência têm os mesmos direitos que todos os outros, por isso devem ser tratadas de igual forma”, concluiu o responsável.

publicado às 18:40



O Wake Salinas abriu, à entrada da cidade de Lagos, possibilitando a prática de Wake Board e Wake Skate no Algarve. O Cable Park está localizado junto ao Aeródromo Municipal e encontra-se aberto todos os dias, das 9h30 às 19h. Está equipado com dois sistemas mecânicos de duas torres e com vários obstáculos adaptados ao nível e gosto de todos os praticantes, sejam iniciados ou avançados. O novo espaço conta igualmente com áreas de bar e snack pró-shop.
Seguindo as últimas tendências internacionais no que se refere a desportos de ação, o Wake Salinas está classificado como projeto de interesse turístico nacional, título atribuído pelo Gabinete do Turismo de Portugal, que reconhece o caráter inovador e empreendedor desta iniciativa. Também de sublinhar o facto do Cable Wakeboard já estar previsto como desporto olímpico em 2020.

publicado às 18:26



Os concelhos que integram o Algarve Central (Albufeira, Faro, Olhão, São Brás de Alportel, Loulé e Tavira) deram por terminado o Estudo de Mobilidade Interurbana (EMI) do Algarve Central, que visa dotar estes municípios de um instrumento de planeamento estratégico que potencie a implementação de um sistema integrado de transportes, contemplando soluções que viabilizem a adoção de políticas de gestão de mobilidade sustentáveis e que contribuam para a melhoria da qualidade do sistema de transportes dos municípios envolvidos. Na sessão de apresentação do estudo, o edil olhanense António Miguel Pina considerou que esta é uma forma de, em conjunto, se tentar diminuir os problemas de mobilidade que os seis municípios têm em comum.
O presidente da Associação de Municípios do Algarve (AMAL), Jorge Botelho, focalizou a viabilidade do EMI, com o esforço e empenho dos municípios na concretização da lógica do Algarve Central. “Para andarmos para a frente, temos de ser competitivos. O Algarve Central é uma visão sub-regional, o que importa é executá-lo. O desafio é o da competitividade e da qualidade”, frisou, ao passo que Teresa Correia, vereadora do Município de Faro, referiu que o EMI foi feito em torno da mobilidade, mas que, na prática, poderá ter algumas limitações na sua aplicabilidade, como seja o financiamento e a falta de algumas estruturas que estão ao alcance dos municípios. “É um estudo que vai servir como trabalho base, no entanto, estamos muito dependentes do governo central”, destacou a autarca.
A apresentação formal do EMI foi feita por João Figueira de Sousa, que enalteceu a colaboração de todos os técnicos envolvidos e a importância que este plano terá para a região do Algarve, em particular para os municípios envolvidos. “O plano acaba, mas agora começa o estudo. Terá de haver um acompanhamento do plano, adaptado aos municípios. A Comissão de Coordenação de Desenvolvimento Regional tem de articular, ver que alguns destes projetos têm de ser integrados a nível Regional”.
A apresentação das diferentes fases do plano e a sua execução estiveram a cargo de Maria João Silveira, que enfatizou a importância deste para o desenvolvimento dos municípios, mas que poderão surgir adaptações, tendo em conta as caraterísticas de cada cidade e os planos diretores municipais. As principais propostas do plano são o reforço de competências da AMAL, aumento da atratividade da rede de transportes públicos, otimização da rede de transporte individual, expansão da rede ciclável intermunicipal, qualificação das redes pedonais estruturantes e a promoção dos modos suaves.
De acordo com o estudo, há que apostar em medidas de mobilidade, delinear uma política de estacionamento, definir recomendações para a articulação entre políticas de ordenamento do território e planeamento do sistema de transportes e apostar na parceria entre os diferentes «stakeholders». A parte prática de execução do plano foi explorada por Isabel Seabra, arquiteta do Instituto de Mobilidade e Transporte (IMT), que considera esta uma nova fase de governação do sistema de transportes, acessibilidades e mobilidade. “Isto é um processo de descentralização. É a altura para começar a agir”, exaltou. Para a técnica do IMT, há diferentes parâmetros que têm de ser tidos em conta e as entidades devem munir-se de instrumentos para o sucesso dos seus planos de implementação, “Há um know how e conhecimentos a adquirir. Os técnicos têm de saber o seu contributo”.
Depois de algumas trocas de impressões, António Pina encerrou o seminário, com palavras de agradecimento a todos os presentes, de olhos postos no futuro e no envolvimento de todos na execução do plano, até “porque há coisas tão simples que não requerem grandes investimentos. Basta sabermos direcionar para as diferentes fases do plano”.

publicado às 18:04

Hugo Santos bicampeão no Estoril PGA Open

por Daniel Pina, em 15.07.14


Hugo Santos revalidou, no dia 15 de julho, o título de campeão do Estoril PGA Open, torneio de cinco mil euros em prémios monetários que a PGA de Portugal organizou pelo segundo ano seguido no Club de Golf do Estoril. O campeão nacional de profissionais de 2011 somou 135 pancadas, três abaixo do Par do campo desenhado por McKenzie Ross, juntando hoje um cartão de 69 ao de 66 de ontem.
Em 2013, o PGA Portugal Tour regressou ao Estoril, depois de uma ausência de 11 anos deste histórico campo que já foi palco do Open de Portugal do European Tour. Nessa altura, Hugo Santos só fez menos uma pancada, 134 no agregado, com voltas de 64 e 70, deixando a quatro pancadas o mesmo Tiago Cruz e Miguel Gaspar. Curiosamente, há um ano Tiago Cruz também parecia arredado do título depois de uma volta inicial de 75, mas galgou no leaderboard graças a um fantástico registo de 65 na segunda volta. Tiago Cruz voltou a começar mal, com 72, e aos 18 buracos estava apenas no 7.º lugar, a seis pancadas dos primeiros, Hugo Santos e Gonçalo Pinto. Mas hoje voltou a recuperar com uma boa ronda de 66 (-3), que só não foi a melhor do torneio porque António Dantas da Silva arrancou uma grande volta de 64 (-5)!
Hugo Santos correu os primeiros cinco buracos a Par e fez um birdie no 6, dobrando os primeiros nove com -4. Já Pinto, com bogeys no 3, 6 8 e 9, para apenas um birdie no 5, iniciou o back nine a Par do campo, portanto, já com quatro de desvantagem do seu rival. Santos ainda lhe deu uma abertura com um duplo-bogey no 10, mas Pinto fez ainda pior no 11, um triplo-bogey! A partir daí Santos só tinha de gerir a vantagem e fê-lo com birdie no 12, bogey no 16 e birdie no 18, enquanto Pinto voltava a perder mais 1 pancada no 17.
Gonçalo Pinto, colíder aos 18 buracos, que tem estado a competir com alguma regularidade no Challenge Tour, caiu para o 4.º lugar, sendo ultrapassado, não só por Tiago Cruz mas também pelo campeão nacional de 2003, Henrique Paulino Jr., autor de voltas de 70 e 69. A melhor volta da prova foi do veterano António Dantas da Silva, um cartão de 64 (-5), com apenas um bogey (3 putts- no 16).
O Estoril PGA Open trouxe várias alterações à Ordem de Mérito da PGA de Portugal. Sean Hawker, o luso-britânico que venceu o Optilink PGA Open, não competiu no Estoril e perdeu o 1.º lugar para Tiago Cruz, que subiu de 2.º para 1.º graças ao cheque de 600 euros. Gonçalo Pinto, que era 3.º, em grande parte devido ao 2.º lugar no Liberty PGA Open (ganho pelo então amador Ricardo Melo Gouveia), desceu para 4.º, enquanto Hugo Santos saltou de 4.º para 2.º depois do prémio de 900 euros.
Recorde-se que Hugo Santos foi o n.º1 da Ordem de Mérito da PGA de Portugal em 2013, 2012 e 2011, pelo que persegue uma quarta época consecutiva na liderança. Este foi o primeiro título de Hugo Santos no PGA Portugal Tour de 2014, mas não foi a primeira vitória da época. O algarvio de 34 anos já tinha vencido anteriormente em dois torneios do Algarve Winter Tour, em fevereiro e março.

O top-5 final do Estoril PGA Open, depois de 36 buracos ao Club de Golf do Estoril, ficou ordenado do seguinte modo:

1.º Hugo Santos (Oceânico Millennium/Algarve Unique Properties), 135 (66+69), -3, €900.
2.º Tiago Cruz (Banco Big), 138 (72+66), Par, €600.
3.º Henrique Paulino Jr. (PGA Portugal), 139 (70+69), +1, €500.
4.º Gonçalo Pinto (Oceânico Old Course/Wines of Portugal), 140 (66+74), +2, €450.
5.º António Dantas da Silva (Penha Longa),141 (77+64), +3, €375.
5.º Sérgio Ribeiro (Miramar), 141 (71+70), +3, €375.

A Ordem de Mérito da PGA Portugal, disputados três torneios da categoria Open, está encabeçada pelos seguintes jogadores:

1.º Tiago Cruz (Banco Big), €2.200
2.º Hugo Santos (Oceânico Millennium/Algarve Unique Properties), €1.900
3.º Sean Hawker (PGA Portugal), €1.750
4.º Gonçalo Pinto (Oceânico Old Course/Wines of Portugal), €1.550

publicado às 22:05



Um grupo de 14 estudantes do Município de Alcoutim, a frequentar os 10.º e 11.º anos de escolaridade, teve a oportunidade de se iniciar ao ambiente universitário e beneficiar de um contacto mais aprofundado com diversas áreas do conhecimento. A promotora foi a Câmara Municipal no âmbito da Universidade Júnior, um programa de cursos de Verão que procura fomentar a prossecução de estudos de nível superior.
O programa, desenvolvido na Universidade do Porto, tem como principais objetivos promover o gosto pelo conhecimento em múltiplas áreas, particularmente as abrangidas pela instituição universitária, e a familiarização com o ambiente académico, contribuindo para a escolha de um percurso vocacional e motivando para o ingresso na Universidade. Na Universidade Júnior, os programas educativos são desafiadores, promovem o pensamento crítico e, simultaneamente, integram uma componente lúdica típica dos programas de verão dirigidos aos mais jovens. As atividades têm em consideração os programas escolares, sendo elaboradas por docentes universitários, que supervisionam a sua execução, maioritariamente a cargo de estudantes universitários, recém-licenciados e jovens investigadores.
Nesta semana passada na Universidade Júnior, os estudantes tiveram a oportunidade de conhecer as várias faculdades da Universidade do Porto (Ciências, Enfermagem, Arquitetura, Comunicação Social, Biomédicas, Belas Artes, Direito) e múltiplas unidades de investigação, podendo aí desenvolver pequenos projetos como trabalho laboratorial, aplicação prática de conteúdos teóricos, visitas de estudo, trabalho de campo e participar em grupos de discussão. Além de conhecimento, a participação na Universidade Júnior proporcionou aos 14 jovens alcoutenejos variadíssimos momentos de divertimento e convívio através da participação em jogos e atividades de grupo, com os demais estudantes oriundos de todo o país, concedendo-lhes ainda a oportunidade de conhecerem e explorarem de um modo ativo a cidade que os acolheu.

publicado às 21:42



Mais sobre mim

foto do autor


Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D